MÁRTIRES DE VÊNUS

Somos frágeis fragmentos
A cortar nossas próprias cicatrizes
A contar histórias, nós mulheres
Atrizes de pernas arqueadas
A desfilar suas feridas felizes

Elas dão vida a carnes sangrentas
Bocas chamejantes que beijam a sorte
Meninas famintas da África em manadas
Sendo loiras, azuis, ruivas ou morenas

Unhas compridas desenham nas costas
Um suporte de penas para suas asas