VIÉS

Teu olhar me come
E num instante insone te percebo
Cedo ou tarde
Quando vens me arder em sonho
E me interponho em mão covarde
Porque estremeço
Então vejo teu lábio cortado pelo frio
E me enfio nas cobertas das lembranças
Ali te aqueço
Quanto mais quero esquecer

Anúncios

ENAMORAMENTO

Flerte entre retinas nunca se dá em linha reta.
Mar se pôs a engolir horizonte com sol e tudo.
Fez-se a noite, então, para os cegos de amar.
Despencou luar cá dentro do vesgo momento.
E agora, como enxergar todos os náufragos a salvo?
Como atingir o alvo dos corpos em beleza reinantes?
Assim, passaremos a ver esses espíritos que somos.
Dentro de um sonho, à espera das estrelas cadentes.