ERA

Não há mal que o tempo faça senão por tua conivência. O entusiasmo, a mentira, a glória ou a violência, tudo passa. Memória é para se guardar em vidro que racha com o vento, mas dá alento enquanto dali, bem preso, não vaza. Pode demorar um ano, dez, cinquenta qualquer cicatriz, por muito que entrave quem a diz ser tão profunda. Há cura a quem não se amargue dessa vida. Há colheres de chá e de açúcar, conversas e silêncios em pitadas. Cedo ou tarde, o alarme acordará quem se arme por desespero. Na espera de tudo se acabar, acabam-se de medo.

Enquanto não vem o esquecimento, procura lembrar…

O sol é uma ficha telefônica para os que se perderam em pores-de-sol de antigamente. Completar a ligação é unir os pontos e perceber o luar do outro lado da linha. Nas entrelinhas, percebem-se as estrelas que ainda pairam no céu: o teu será o mesmo que vejo? O futuro está nos olhos da cigana, que, pela gana por dinheiro, esqueceu de ler a própria mão. Quais são os teus pesadelos? Sonhos são mais hábeis. Abrem-se mil destinos. Escolhe a eternidade, que na tua idade ainda é coisa de menino.

PAOLA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s