PEIDORREIRA

Um cu sorri alegremente para a cara da sociedade.
Fossa a céu aberto, precisava cultivar mais dentes.
Tudo contra achaques moralistas presos sob véus.
As saias compridas a cumprir promessa de crente.
As vaias contidas, os gritos sem gozo pelo bordéu.

– Dê uma mente criativa ao são, torna-te demente:
Papa-léguas rezou célere à hora da missa do galo.
Até um morto falou no sétimo dia, a duras penas.
Escarnecer da carne fraca é punhetar o mole falo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s